Comecei a ver "The 100"


Faz tempo que não faço reviews por aqui, mas como estou empolgado com esta nova série que estou começando a assistir, decidi colocar aqui minha opinião para quem sabe fazer você leitor se animar (ou desanimar) a ver também.

A premissa de The 100 é super interessante onde noventa e sete anos depois de um apocalipse nuclear dizimar a Terra e destruir a civilização, sobraram 400 habitantes de 12 estações espaciais que estavam em órbita durante o acontecimento. (Consegui enxergar uma referência de Jogos Vorazes aqui)

Depois de quase cem anos, a população das aeronaves aumentou e os recursos começaram a acabar, o que pode significar o fim dos seres humanos. Por isso, os comandantes enviam para a Terra 100 jovens prisioneiros, na tentativa de testar a situação no nosso planeta e descobrir se existe a possibilidade de retorno ao local.

Eles deverão lidar com as próprias diferenças, e ainda precisam se unir para enfrentar os perigos que os aguardam por causa da radiação, sem contar os mistérios que habitam a Terra, já que tudo indica que eles não estão sozinhos. (Uma referência de Lost aqui, não?)

Os personagens são teimosos, tem a mocinha, a gostosa, o mandão, o que se acha chefe, a psicopata, o popular, os irmãos, o casal - resumindo, tudo o que uma série cheia de personagens precisa. Mais uma vez devo lembrar aqui que vimos tudo isso em Lost, claro que com atores mais velhos.



Eu comecei a ver a série, porque já atualizei minhas favoritas: American Horror Story, Game of Thrones (ainda não começou a nova temporada... grrrrr, mas para nossa alegria volta no domingo que vem, dia 12 de abril, na HBO americana), Hannibal (que deve voltar no dia 4 de junho, pela NBC, com mais uma espetacular temporada), Revenge (que está bem cansadinha, afinal a vingança de Emily já acabou e eles ficam inventando vingancinhas agora), The Leftovers (que tá foda, porque em uma temporada só enrolou despertando ainda mais a curiosidade do público, ou seja: to aqui querendo saber a resposta de milhares de perguntas que tenho sobre a série - e para nossa tristeza eles nem avisaram quando será lançada a segunda temporada), The Walking Dead (que tá foda... sem comentários) e Under the Dome (que voltou a ser legal de novo). E quando comecei a ver The 100, foi sem expectativa nenhuma: "Já que estou vendo séries de todos os gêneros para ver se consigo achar mais uma para aumentar minha lista de favoritas (como Mom, por exemplo que já me conquistou e me fez listar 5 motivos para gostar dela), porque então não começar a ver esta série?"

E olha, o primeiro episódio começou bem lento, sem muitas novidades: apenas apresentação de personagens mesmo - sem aprofundar em cada um, na medida certa. Por isso precisei ver o segundo episódio e assim o terceiro, o quarto, para ver o que ia acontecer... ou seja, estou levemente viciado na série.

Neste momento já estou apaixonado pelos personagens principais e me identificando com o comportamento de alguns. Lembra sim um pouco sobre Jogos Vorazes, mas Divergente lembra Jogos Vorazes, O Doador de Memórias lembra Jogos Vorazes, afinal, esse tema (de criar povoados que sobreviveram a determinada situação que destruiu o mundo, para lutar por um novo amanhã) é a onda do momento, porque não aproveitar e adaptar para uma série?

O elenco não é muito conhecido e este é um dos motivos para gostarmos ainda mais da série, afinal pode sair daqui uma futura celebridade com talento de sobra para atuar em ótimos filmes e levar para casa várias estatuetas do Oscar - menos o Leonardo DiCaprio que é só um bom ator. Aliás, temos uma atriz conhecida: Paige Turco da série The Good Wife.

Resta então saber se eles vão continuar com o mesmo fôlego, capaz de nos segurar por mais uma terceira temporada (já que finalizou no dia 11 de março, a segunda temporada com o 16º episódio. O diretor Jason Rothenberg - por enquanto - não deixou a desejar. Quero mais.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.